Entrevista: Eric Ramires relembra trajetória e revela “principal objetivo” no RB Bragantino

por Marcelo Muniz / Cristian Moraes em 08 de Abril de 2021 00:00


O meio-campista Eric Ramires, de 20 anos, que pertence ao Bahia e está emprestado ao Red Bull Bragantino, revelou  em entrevista ao repórter Marcelo Muniz, ter como maior objetivo no momento, desempenhar um bom futebol e ser vendido pelo Esquadrão. Entretanto, o atleta não descarta retornar num futuro ao clube que o revelou.

Em entrevista exclusiva ao Galáticos Online, Eric Ramires falou sobre diversos assuntos, entre eles, sua estreia com a camisa do Bahia, passagem pelo futebol suíço e o atual momento no clube paulista.

                                    

Eric Ramires estreou no time profissional do Bahia aos 18 anos, num clássico contra o Sport, em 2018. E as dicas que recebeu dos atletas mais experientes do elenco foram importantes para a realização do sonho do garoto de Águas Claras, que demonstrou muita intimidade com a bola. 

“Meu primeiro jogo como profissional, (eu) estava muito ansioso, foi uma sensação única e eu sempre sonhava com aquele momento. A torcida cantando, jogando um clássico nordestino, foi uma sensação inexplicável”, revelou o jogador, que continuou falando do meteórico amadurecimento dentro e fora dos gramados: 

“Amadureci muito com os meus companheiros, os mais velhos do elenco sempre me davam dicas do que fazer, dentro e fora de campo, isso me ajudou muito”.

Após ser um dos destaques do Bahia e da Série A do Campeonato Brasileiro de 2018, no ano seguinte (2019), o jogador despertou o interesse do Basel, maior clube da Suíça, e acabou sendo emprestado com o valor de compra fixado, realizando mais um sonho. Porém, o clube europeu resolveu não exercer o direito de adquiri-lo em definitivo após o fim do empréstimo. Ramires comentou a importância da passagem dele pelo futebol europeu, mas também falou da dificuldade que é ficar longe das pessoas que ama, principalmente nos momentos difíceis, como a lesão que ele sofreu logo ao chegar no nono clube.

“Jogar na Europa foi muito (importante) para o meu amadurecimento, e muito difícil para me adaptar nos primeiros meses. O fuso horário, clima, cultura, idioma, comida, entre outros fatores. Mas eu gostei de jogar no Basel. Meu melhor momento e que vai ficar marcado para sempre, foi quando joguei a Europa League. O pior foi quando eu me machuquei e estava longe das pessoas que mais me davam força”, revelou Ramires.

                                 

Quando retornou ao Bahia, ele acabou não agradando o até então treinador do Esquadrão, Mano Menezes, e acabou preterido pelo veterano Elias, que vinha de um ano sem jogar. Mas no momento em que estava em baixa no Tricolor, Ramires acabou despertando o interesse do RB Bragantino, que viu potencial no futebol desempenhado por ele. Com isso, ele acabou sendo emprestado por uma temporada ao clube de Bragança Paulista, onde se sente feliz e focado em crescer cada vez mais. O Bahia ainda recebeu R$ 1,2 milhão pela transferência, e caso ele seja comprado em definitivo, o clube baiano vai receber mais R$ 12 milhões, pela venda de 70% dos direitos econômicos do atleta.

“Fiquei muito feliz com o interesse do Red Bull Bragantino, em um momento que eu não estava sendo utilizado no Bahia. É uma experiência muito boa, fizemos um ótimo final de campeonato brasileiro. Agora, temos uma nova temporada pela frente e almejamos coisas maiores”, explicou e revelou que deseja ser vendido pelo Bahia ao fina do empréstimo:

“Ainda tenho contrato com o Bahia. Porém, meu principal objetivo no momento é ser vendido. Jogando bem e tendo oportunidades as coisas acontecem, e quem sabe, voltar algum dia”, encerrou o atleta que tem contrato com o Esquadrão até o final de 2022

                               
.
Veja outros trechos da entrevista abaixo:

Você acha que a sua lesão foi fundamental para não ter ficado no Basel?

R: A minha lesão me atrapalhou muito, porque eu tinha que atingir a marca de 23 partidas, e machucado eu não conseguia jogar. Foi um dos fatores que atrapalharam a minha venda.

Em sua segunda passagem pelo Bahia, você não conseguiu jogar. Ficou alguma magoa pela forma que foi tratado quando voltou? Por ter sido pouco aproveitado e dispensado pelo treinador?

R: Não sinto mágoa nenhuma. Infelizmente, não consegui o meu espaço com o treinador do momento, o Mano Menezes. Mas sempre trabalhei forte. Em nenhum momento eu abaixei a cabeça, continuei dando o meu melhor nos treinamentos.

A estrutura do RB é diferenciada em comparação aos clubes que você passou?

R: Aqui no Red Bull Bragantino temos uma estrutura muito boa. É um time que tem um projeto a longo prazo, mas que já deu frutos esse ano. Temos jogadores qualificados e jovens. Pretendemos crescer ainda mais, nacionalmente e internacionalmente.

Voltar a jogar com o Artur Victor, com quem você atuou junto em 2019, pelo Bahia, facilitou a sua adaptação no RB Bragantino?

R: O Artur jogou comigo no Bahia em 2019. É um cara super gente boa, que me acolheu muito bem aqui. Isso é muito importante para o jogador que chega. Com certeza ele me ajudou na adaptação aqui no RB.

 

Fotos: Ari Ferreira/Red Bull Bragantino - Felipe Oliveira/EC Bahia - Reuters


Whatsapp
Mande um Comentário
Os comentários não representam a opinião do portal Galáticos Online. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Ver todos

Publicidade

Fotos

Publicidade

Publicidade